Perspetiva Digital @ VANTAG galeria

by Jorge Cardoso May. 02, 2015 1668 views

PEDRO BRUSCHY || PERSPETIVA DIGITAL || VANTAG galeria

Perspective, n, Part of optics that teaches how to represent the objects on a plane with all apparent modifications, or with several aspects that their position and location determines with respect to the figure and to light. || Drawing or painting representing the objects as they are seen by our eyes. || Painting representing gardens, buildings in the distance and that you put at the end of a gallery or a garden mall to create an optical illusion. || Aspect that objects present seen from afar; panorama. || Appearance, mirage.

Digital, adj. comput. and Electronics. That operates with information represented in the form of digits associated with electrical impulses. || It is said of the device that provides information in the numerical form on a display. || Information stored in the form of numbers, using the digits 0 and 1. || Photography d., It is said of photography in which images are not fixed in a film sensitive to light, but recorded in a data storage device.


“… several architectural and decorative sources in the semantic field of re-readings, a sociology of creation, in a Porto timeframe of architectural anomie, of persistent forms and slow accumulations in a town of character, more of ways of being than fads of hype” (António Cardoso)

“One of the most fascinating aspects of photography is the infinite range of possibilities that the same scene offers. Pedro Bruschy’s work brings us a perspectival view of Porto, an invitation to the understanding of the city in a chromatic scale that fills our eyes” (A. DeLima)



On the day Andy Warhol met Picasso someone was alert and registered it all…

When Georges Braque and Pablo Picasso developed Cubism, they surpassed the previous notion of a drawing, a painting having a single point of view … the viewer / artist depicts what he/she sees facing the subject / landscape. In some cases the object is represented several times, suggesting that it moved, but … what if it was the artist who moved? Then we have different points of view … facing the object, on the side of the object, from above or below, near or far.

(continued on the back -»»»)
………………………………………………………
Galeria VANTAG
R. Miguel Bombarda, 552 (pedestrian zone), 4050-379 Porto
From May 2 through June 13 2015
(15h-19h30 Monday through Saturday inclusive)


(continuation)

In his portraits of this phase the head is represented facing us but also as a profile, which could recall the mugshots of police records; but, while in such cases we have the whole head from the front and the full head from the profile, in the work of Picasso we have fragmentation: part of the head is facing us and another part is in profile. This gives us multiple points of view.

Andy Warhol, ultimate master of pop art, worked a lot with silkscreen printing where each color requires extra work … so that might be one reason to use the same color in large areas of the base theme, usually appropriated photography. Making the analysis of his portraits (as we did for cubism) there are famous cases in which he uses a uniform color for the background and one for the represented face; in other cases he repeats the same photo 4 or 9 times on the canvas and each square will only differ for the colors used.

These two fundamental concepts of art history are alive in the work of Pedro Bruschy:

- we are privileged to, in the same work, have more than just one glance at an object/monument; as in cubist portraits we have the front and the profile of the same building. In other cases we have the result of a long traveling (to use cinematic language) … in short we are presented with different points of view;

- the colors, as in Warhol, are scarce but each one fills much of the work surface and this procedure rejuvenates the image and therefore the monument; the study of history is much more appealing.

That’s why we said that “on the day Andy Warhol met Picasso someone was alert and registered it all…” It was Pedro Bruschy and we are the beneficiaries.

Jorge Cardoso

………………………………………………………
Pedro Bruschy was born in Lisbon in 1971.
In 1995 he graduated in Graphic Design from the School of Fine Arts of Porto.
He worked at Antonio Queirós Design 1992-2009.
In 2006/2007 he attended the Iberian Master in Design and Graphic Production / Mid, the Facultat of Fine Arts, University of Barcelona, in the alchemy of color.
Since 2007, as a member of SOOCHY.COM Lda., Performs the functions of Creative Director. Currently resides in Porto.

His early works, Digital Zoom (Rivoli - Janeiro06) and Digital Perspective (Anje - March 06) were dedicated to the city of Porto where the most emblematic icons of the city, after captured with his lens, underwent a treatment almost plastic a deconstructive game that invites new interpretations of the unbeaten. Three years and two exhibitions after its inception, Digital People Peter Bruschy project no longer project to become work. Work in progress, so, as befits the best contemporary art, Digital People come revitalize the famous postulate of André Breton, “la beauté will be convulsive or will be ne pas”. Here, the convulsive beauty of the images born in the digital photomontage space-time, which reconfigures the gap between perception and representation, between abstraction and revelation, in short, between the eye and vision. The process of composition and decomposition of bodies, and spaces that bodies go through, rearranges itself heterogenesis the history of figurative art from the surrealism of Magritte the hyperrealism of Frida Kahlo, without forgetting the matrix illusion of Arcimboldo, which interartistic poses a dialogue that ultimately makes Digital People space of unlikely encounters, which are realized a new order, a new world and a new humanity. Beau comme…


Solo exhibitions:

May 2015 – “Perspetiva Digital Re-Edited”, Vantag Bombarda, Porto
November 2013 – “New Forms”, Poggenpohl.
September 2011 – “…, 604”, 604· Porto.
December 2008 – “Digital People”, Araújo & Sobrinho, Porto.
September 2008 – “Digital People”, Pedro Remy, Braga.
September 2007 – “Digital People”, MUUDA, Porto.
March 2006 – “Perspectiva Digital” ANJE, Porto.
January 2006 – “ZOOM Digital 18X ”, Rivoli Café Concerto, Porto.

Group exhibitions:

January 2015 – “Nichos de Arte”, Vantag DM2, Porto.
November 2014 – “Compr’arte”, Vantag Bombarda, Porto.
September 2014 – “Folhas de Outono”, Vantag Bombarda, Porto.
March 2014 – “Espreitar-te – arte atrás da porta”, Vantag Bombarda, Porto.
June 2012 – “NINETY DEGREES 90°” (with Sahra Kunz), Vantag Bombarda, Porto.
April 2011 – “Aahh! Viva! Le Salon is Back :)”, Vantag Bombarda, Porto.
August 2010 – “Zoom In Zoom Out”, Porto Gran Plaza, Porto.
October 2009 – Colectivo VANTAG, Torre da Cadeia Velha, Ponte de Lima.

…..

Perspetiva, s.f. Parte da óptica que ensina a representar sobre um plano os objectos com todas as modificações aparentes, ou com os diversos aspetos que a sua posição e situação determinam com relação à figura e à luz. || Desenho ou pintura que representa os objetos como são vistos pelos nossos olhos. || Pintura que representa jardins, edificações à distância e que se põe no fim de uma galeria ou de uma alameda de jardim para iludir a vista. || Aspeto com que se apresentam os objectos vistos de longe; panorama. || Aparência, miragem.

Digital, adj. Infor. e Eletrónica. Que opera a partir de informação representada sob a forma de dígitos associados a impulsos elétricos. || Diz-se do aparelho que disponibiliza informações sob a forma numérica num mostrador. || Informação guardada sob a forma de números, usando os dígitos 0 e 1. || Fotografia d., diz-se da fotografia em que as imagens não são fixadas numa película sensível à luz, mas sim registadas numa unidade de armazenamento de dados informáticos.


“… várias fontes arquitectónicas e decorativas, no campo semântico das releituras, numa sociologia de criação, no tempo portuense de uma arquitectura de anomias, de formas persistentes e lentas acumulações numa cidade de carácter, mais de modos do que de modas de ser” (António Cardoso)


“Um dos aspectos mais fascinantes da fotografia é a infinita gama de possibilidades que uma mesma cena oferece. O trabalho de Pedro Bruschy traz-nos uma visão perspéctica do Porto, convidando ao entendimento da cidade numa dimensão cromática que nos enche o olhar.” (A. DeLima)



No dia em que Andy Warhol encontrou Picasso alguém estava atento e registou tudo…

Quando Georges Braque e Pablo Picasso desenvolveram o Cubismo superaram a anterior noção de um desenho, uma pintura ter um ponto de vista único… o observador/artista representa o que vê de frente para o sujeito/paisagem. Em certos casos o objeto é representado várias vezes, o que sugere que se movimentou, mas… e se foi o artista que se deslocou? Teremos então vários pontos de vista… de frente para o objeto, de lado em relação ao objeto, de cima ou por baixo, perto ou longe.
(continua no verso -»»»)
………………………………………………………
Galeria VANTAG
R. Miguel Bombarda, 552 (zona pedonal), 4050-379 Porto
De 2 Maio a 13 Junho 2015
(15h-19h30 de 2ª a Sábado inclusive)

(continuação)

Nos seus retratos desta fase a cabeça é representada de frente mas também de perfil, o que poderia recordar as fotos de registos policiais; mas enquanto que nesses casos temos a cabeça inteira de frente e outro tanto de perfil, no caso de Picasso temos fragmentação do objecto: parte da cabeça está de frente e outra parte está de perfil. O que nos dá múltiplos pontos de vista.

Andy Warhol, elemento máximo da arte pop, trabalhou muito com serigrafia onde cada cor implica trabalho extra… por isso terá usado a mesma cor em grandes áreas do tema base, normalmente fotografia apropriada. Fazendo também a análise dos seus retratos (como fizemos para o cubismo) são célebres os casos em que usa uma cor homogénea para o fundo e outro para a cara representada; noutros casos repete a mesma foto 4 ou 9 vezes na tela e cada quadrado só tem de diferente as cores usadas.

Estes dois conceitos fundamentais na história da arte encontram-se no trabalho de Pedro Bruschy:

- temos o privilégio de, na mesma obra, ter mais do que um olhar sobre um objecto/monumento; tal como nos retratos cubistas deparamos com a frente e o perfil do edifício. Noutros casos temos o resultado de um longo traveling (para usar linguagem cinematográfica)… no fundo são diversos pontos de vista;

- as cores, tal como em Warhol, são escassas mas cada uma preenche grande parte da superfície da obra e este efeito rejuvenesce a imagem e indirectamente o monumento; o estudo da história fica muito mais apelativo.

Por isso dissemos que “no dia em que Andy Warhol encontrou Picasso alguém estava atento e registou tudo…” foi Pedro Bruschy e nós somos os beneficiários.

Jorge Cardoso

………………………………………………………

Pedro Bruschy nasceu em Lisboa em 1971.
Em 1995 formou-se em Design Gráfico pela Faculdade de Belas Artes do Porto.
Trabalhou na António Queirós Design de 1992 a 2009.
Em 2006/2007 frequentou o Master Ibérico em Design e Produção Gráfica/Intermédia, da Facultat de Belas Artes da Universitat de Barcelona, na Alquimia da cor.
Desde 2007, como sócio da SOOCHY.COM Lda., desempenha as funções de Director criativo. Actualmente reside no Porto.

Nos seus primeiros trabalhos, Zoom Digital (Rivoli - Janeiro06) e Perspectiva Digital (Anje - Março06) dedicou-se a cidade do Porto onde os mais emblemáticos ícones da cidade, depois de capturados com a sua objectiva, foram submetidos a uma tratamento quase plástico num jogo desconstrutivo que convida a novas interpretações da invicta. Três anos e duas exposições após o seu arranque, o projecto Digital People de Pedro Bruschy deixou de ser projecto para se tornar Obra. Work in progress, portanto, como é próprio da melhor arte contemporânea, Digital People vem revitalizar o célebre postulado de André Breton, “la beauté sera convulsive ou ne sera pas”. Aqui, a beleza convulsiva das imagens nasce no espaço-tempo da fotomontagem digital, que reconfigura o intervalo entre a percepção e a representação, entre a captação e a revelação, em suma, entre o olhar e a visão. O processo de composição e decomposição dos corpos, e dos espaços que os corpos atravessam, reorganiza a própria heterogénese da história da arte figurativa, desde o surrealismo de Magritte ao hiper-realismo de Frida Kahlo, sem esquecer o ilusionismo matricial de Arcimboldo, o que suscita um diálogo interartístico que, em última instância, faz de Digital People um espaço de encontros improváveis, onde se concretizam uma nova ordem, um novo mundo e uma nova humanidade. Beau comme…

Exposições individuais:

Maio 2015 – “Perspetiva Digital Re-Edited”, Vantag Bombarda, Porto
Novembro 2013 – “New Forms”, Poggenpohl.
Setembro 2011 – “…, 604”, 604· Porto.
Dezembro 2008 – “Digital People”, Araújo & Sobrinho, Porto.
Setembro 2008 – “Digital People”, Pedro Remy, Braga.
Setembro 2007 – “Digital People”, MUUDA, Porto.
Março 2006 – “Perspectiva Digital” ANJE, Porto.
Janeiro 2006 – “ZOOM Digital 18X ”, Rivoli Café Concerto, Porto.

Exposições Colectivas:

Janeiro 2015 – “Nichos de Arte”, Vantag DM2, Porto.
Novembro 2014 – “Compr’arte”, Vantag Bombarda, Porto.
Setembro 2014 – “Folhas de Outono”, Vantag Bombarda, Porto.
Março 2014 – “Espreitar-te – arte atrás da porta”, Vantag Bombarda, Porto.
Junho 2012 – “NINETY DEGREES 90°” (com Sahra Kunz), Vantag Bombarda, Porto.
Abril 2011 – “Aahh! Viva! Le Salon is Back :)”, Vantag Bombarda, Porto.
Agosto 2010 – “Zoom In Zoom Out”, Porto Gran Plaza, Porto.
Outubro 2009 – Colectivo VANTAG, Torre da Cadeia Velha, Ponte de Lima.

  Be the first to like this post
Join the conversation
3
There are 3 comments , add yours!
Dzmitry Samakhvalau 4 years, 10 months ago

:)

4 years, 10 months ago Edited
Jorge Cardoso 4 years, 10 months ago

leiam, leiam muito!!!

4 years, 10 months ago Edited
Jorge Cardoso 4 years, 10 months ago

chamó ardina!!!

4 years, 10 months ago Edited
Up
Copyright @Photoblog.com